Frente Parlamentar comemora com ACE e ACS a derrubado dos vetos da Lei Ruth Brilhante

April 20, 2018

 

O coordenador-geral da Frente Parlamentar em Defesa dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate a Endemias, deputado estadual licenciado Dr. Leonardo (SD), comemorou a derrubada de 13 dos 16 vetos a Lei Federal 13.595 de 2018, a Lei Ruth Brilhante, na terça-feira (17), que trata sobre a jornada e condições de trabalho, formação profissional e continuada das duas categorias.

A derrubada dos vetos foi importante para garantir que os agentes comunitários de saúde (ACS) e os agentes de combate a endemias (ACE) continuassem como parte obrigatória e fundamental na atenção básica de saúde. Sem essa previsão legal, e sem uma legislação para tratar da formação continuada,os  ACE e ACS poderiam ser extintos.

“Estou muito feliz porque a Frente Parlamentar sabe da importância desses profissionais para a saúde pública e participou dessa luta do começo ao final. Representantes da Frente estiveram presentes, em Brasília, desde o início da discussão da Lei Ruth Brilhante e os 16 vetos haviam sido um banho de água fria. Ajudamos a categoria em Mato Grosso a se mobilizar, prestamos auxílios para que eles pudessem ir ao Distrito Feral, onde cobraram duramente a derrubada dos vetos e mostraram que possuem muita força”, afirmou Dr. Leonardo.

Uma comitiva de 40 ACE e ACS, dos três sindicatos mato-grossenses, recebeu apoio logístico e técnico da Frente Parlamentar para ir a Brasília, onde trataram diretamente com deputados federais e com  o presidente Michel Temer (PMDB) sobre a derrubada dos vetos, junto com ACE e ACS de todo Brasil. Com isso, conseguiram articular a derrubada de 13 vetos e a mudança de texto dos outros 3, que será enviada como Medida Provisória para o Congresso, em breve.

Destaca-se entre os vetos derrubados o parágrafo único 1º do artigo 2º da lei, que determina como “essencial e obrigatória a presença de agentes comunitários de saúde na estrutura de atenção básica de saúde e Agentes de Combate ás Endemias na estrutura de vigilância epidemiológica ambiental”.

Outros pontos de destaque foi a manutenção das atribuições das duas categorias, o pagamento da indenização por transporte dos ACE e ACS, bem como a possibilidade de ambos poderem mudar de bairro caso sejam contemplados em algum programa de residências populares, o que anteriormente era vetado.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags