“Estado precisa garantir diagnóstico e tratamento de qualidade para doenças raras”, afirma Dr. Leonardo

February 28, 2019

O Estado brasileiro precisa garantir diagnóstico e acesso a tratamento de qualidade para doenças raras enquanto o Congresso Nacional precisa trabalhar para aprovar um orçamento que contemple, na área da saúde, a implementação dessa política.

 

Essa foi a avaliação do deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade-MT), nesta quarta-feira (27.02), durante sessão solene em comemoração ao Dia Mundial das Doenças Raras, na Câmara dos Deputados. O ato público para debater de forma mais aprofundada as doenças raras e trabalhar por novas políticas contou com a presença da primeira-dama do país, Michele Bolsonaro.

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, uma doença é definida como rara quando atinge até 65 pessoas a cada 100 mil indivíduos. Estima-se que existem quase oito mil doenças raras no mundo. No Brasil, segundo a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), essas doenças afetam em torno de 13 milhões de pessoas. As enfermidades podem ser degenerativas, crônicas, progressistas e, algumas, levam à morte.

 

“Lembrando que cerca de 80% dessas doenças ocorre por origem genética, enquanto as demais têm causas infecciosas, virais ou degenerativas. Muitas dessas pessoas têm dificuldades de acesso a remédios e outras formas de tratamento que podem amenizar sua patologia. Uma sessão como a hoje na Câmara ajuda a dar visibilidade às pessoas que estão à margem das políticas públicas e precisam de atenção do Estado. Vamos continuar trabalhando firme em prol de uma saúde pública de qualidade e para que o sistema público seja cada vez mais inclusivo”, afirmou Dr. Leonardo.

 

Médico, Dr. Leonardo é presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias e participa das frentes de Saúde e da Medicina na Câmara Federal.

 

Dia das Doenças Raras - O Palácio do Congresso Nacional ganhou iluminação especial para chamar a atenção para o Dia Mundial das Doenças Raras, celebrado em 28 de fevereiro – e 29 nos anos bissextos. O objetivo é conscientizar a população, órgãos de saúde pública e profissionais da área sobre os tipos de doenças raras existentes e as dificuldades enfrentadas pelos pacientes.À noite, a cúpula e o anexo principal da Câmara dos Deputados fica iluminada de lilás e azul. E o lado do Senado, de rosa e verde.

 

Somente na década de 80, as doenças raras começaram a fazer parte da agenda pública e dos programas governamentais, impulsionando os governos a assumirem o problema de saúde pública e criarem programas específicos para prestar assistência aos pacientes.

Assessoria com Agência Câmara Notícias

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

November 21, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags